quinta-feira, 25 de maio de 2017

Lula, Sarney e FHC se unem por novo governo,,,


As articulações para a substituição do presidente Michel Temer evoluíram nas três principais forças políticas do país –PMDB, PSDB e PT– e agora envolvem diretamente três ex-presidentes da República: Fernando Henrique Cardoso, Luiz Inácio Lula da Silva e José Sarney.
Desde a última quinta (18), quando foram divulgados os detalhes da delação da JBS que envolvem Temer, eles têm liderado conversas suprapartidárias em busca de um consenso para a formação de um novo governo, caso o peemedebista seja cassado pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral).
Os três caciques, pontos de contato nos diálogos que acontecem reservadamente em Brasília e São Paulo, cuidam para que os debates não ganhem caráter partidário.
As conversas estão pulverizadas, uma vez que, por ora, cada sigla traça caminhos diferentes para o desfecho da crise.
Do lado do PSDB, fiel da balança do governo, FHC se tornou referência e, segundo relatos de tucanos, já abriu contato com parlamentares do PT. Além disso, é o mais importante interlocutor do presidente do TSE, Gilmar Mendes, considerado “peça-chave” para viabilizar a saída institucional de Temer.

O “Parque eólico Iracema” em Macau, poderá ser fechado devido Fraude na licença ambiental do IDEMA-RN...

IDEMA-RN, sob investigação do MP e da justiça, liberou em 2011 licença ambiental para a construção do parque eólico de Iracema, em Macau, RN, mesmo com denuncia de fraude comprovada na Escritura Pública, que instruiu o pedido inicial da licença ambiental.
Essa é mais uma denuncia de  irregularidade na administração do IDEMA-RN, órgão cujos dirigentes estão envolvidos em escândalo de corrupção, já no âmbito da justiça.
Houve impugnação administrativa, a época, com a devida comprovação documental da ilegalidade e fraude da escritura, porém “influências políticas” no IDEMA-RN forçaram a liberação, “a toque de caixa”, da licença para a construção do parque eólico, dividido em três grupos (I,II e III).
Consta que a fraude da escritura corresponde ao parque eólico Iracema II.
Existiriam outras informações sobre pressões e responsabilidades, forçando a aprovação dessa autorização ambiental do parque eólico Iracema, inclusive, na delação premiada autorizada para a apuração de atos ilícitos no IDEMA.
Falam-se em outros casos de licenças “graciosas”, autorizadas pelo IDEMA.
O “blog” já examina denuncia nesse sentido,  que lhe foi encaminhada.
É sócia do Parque Eólico Iracema, em Macau, a empresa de origem alemã – Sowitec do Brasil Energias Alternativas Ltda -, que mantém escritório em Salvador, na Bahia.
Está sendo requerida a interdição desse parque eólico (na área de Iracema II), por fraude originária no ato administrativo de liberação da licença ambiental, que permitiu a sua construção.
O pedido incluiu  a competência da Justiça Federal, em razão de interveniência da ANEEL e outro órgão da administrativa federal (Eletrobrás), nos procedimentos de constituição do empreendimento.





Créditos:  Robson Pires

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Representante de São Gonçalo do Amarante é eleita Miss RN 2017...


A representante de São Gonçalo do Amarante, Milena Balza, 22 anos, estudante do curso de publicidade, foi eleita a mulher mais bonita do Rio Grande do Norte no concurso Miss RN 2017 realizado no Teatro Riachuelo, em Natal na noite dessa terça-feira. A musa da Grande Natal venceu vinte e quatro concorrentes e vai representar o Estado no Miss Brasil em São Paulo no próximo no dia 19 de agosto. Em segundo lugar ficou a candidata de Mossoró, Beatriz Brito e com a terceira colocação Isabella Cecchi de Canguaretama. A candidata de Guamaré, Brenda Marinho, foi eleita Miss Be Emotion 2017.



Órgãos do município realizam mobilização no 18 de maio

A secretaria municipal do Trabalho, Habitação e Assistência Social, desenvolveu atividades mobilizando a população no 18 de maio, Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes.
A programação aconteceu nas escolas da rede municipal de ensino, durante toda a semana que antecedeu a data, culminando com o encerramento na quadro Omar Rodrigues, anexo da escola municipal Monsenhor Walfredo Gurgel, no centro da cidade.
A programação foi iniciada com uma apresentação sob a responsabilidade do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculo, com dança contemporânea, executada por integrantes do Projeto Despertar, seguido por palestra proferida pela assistente social,  Gerlande Magaly, que abordou sobre a importância do Dia 18 de maio para a sociedade, e encerrando, com a participação do presidente do Conselho do Direito da Criança e do Adolescente (Condica – Alto do Rodrigues), Rodrigo Moura.

Secretária foi escolhida para comandar a 5ª Regional do Congemas

A secretária municipal do Trabalho, Habitação e da Assistência Social, Gerlane Baracho (na foto 2ª a esquerda), foi selecionada para dirigir a 5ª Regional do Colegiado Nacional de Gestores Municipais de Assistência Social do Rio Grande do Norte (Congemas-RN). A escolha foi feita durante participação da gestora e outros representantes do município no evento promovido pelo órgão, na capital potiguar.
Gerlane também foi escolhida para representar o Rio Grande do Norte no 10º Encontro Nacional de Assistência Social, evento que irá discutir sobre políticas públicas da área. A organização do Encontro Nacional de Gestores Municipais de Assistência Social acontecerá de 19 a 21 de junho, na Universidade Federal do Sul da Bahia em Porto Seguro (BA). O tema central deste ano é o PLANO DECENAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL: ‘COMPROMISSO NA DEFESA DOS DIREITOS E A EFETIVAÇÃO DO SUAS’.
Dessa forma, a secretária também representante do município de Alto do Rodrigues, terá voz nas decisões sobre as ações e melhorias que serão definidas na ocasião do encontro.


Fonte: SECOM

terça-feira, 23 de maio de 2017

Cruzamento da Lista de Furnas e Lava Jato, comprometem ainda mais Aécio e Bolsonaro...

Aécio Neves, Eduardo Cunha, Jair Bolsonaro, José Serra e Geraldo Alckmin, entre outros, constam nas denúncias que constam em processo da Lista de Furnas reaberto no STF


Reaberto no Supremo Tribunal Federal (STF) após o pedido de investigação da Procuradoria Geral da República (PGR), o julgamento do escândalo conhecido como ‘Lista de Furnas’ coloca entre os investigados os principais líderes tucanos. Mas expõe, pela primeira vez no âmbito das denúncias de corrupção, o deputado Jair Messias Bolsonaro (PP-RJ). Ele e o presidiário Eduardo Cunha (PMDB-RJ) estão citados no documento. O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, também é citado no escândalo.
A ‘Lista de Furnas’ trata-se de uma prova, assim considerada segundo laudo do Instituto Nacional de Criminalística da Polícia Federal, do esquema de propina montado junto às empresas do setor elétrico brasileiro. Vazada para o jornalista mineiro Marco Aurélio Flores Carone, a matéria foi publicada no site de notícias novojornal.com, hoje reduzido a uma sombra do que era, no ano 2000.
Após a publicação da denúncia contra os políticos citados, Carone foi preso por nove meses, em Minas Gerais. Posteriormente, a Justiça o absolveu, após um calvário de sofrimento na prisão. Ao sair do presídio mineiro, Carone decidiu contar à Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados quais eram as denúncias que ele pretendia fazer contra o senador Aécio Neves (PSDB). Segundo Carone, o hoje presidente nacional do PSDB e senador da República liderava o esquema de corrupção no segmento que engloba as elétricas Cemig, de Minas Gerais, e Furnas, do sistema Eletrobras. O depoimento foi suspenso no último minuto.

Pressão ilegal

Carone foi preso a mando da juíza Maria Isabel Fleck, da 1ª Vara Criminal da capital mineira, após denunciado pelo Ministério Público Estadual (MPE-MG) por formação de quadrilha, falsificação de documentos públicos e particulares, falsidade ideológica, uso de documento falso, denunciação caluniosa majorada e fraude processual majorada. Todas as acusações caíram, após sua absolvição. Mas a denúncia e posterior prisão serviram ao objetivo de massacrar o denunciante e, fundamentalmente, ganhar um tempo precioso para os envolvidos.
Os promotores, à época, basearam suas denúncias nos contatos entre o jornalista e o lobista Nilton Monteiro. Ele disse depois, publicamente, que decidiu tornar pública a Lista de Furnas após ter colaborado com suposto esquema de desvio de dinheiro da estatal. A juíza, por sua vez, entendeu que ambos faziam parte de uma quadrilha, cujo objetivo seria “difamar, caluniar e intimidar” adversários políticos. O político aí, no caso, era o recém-eleito governador de Minas Gerais, Aécio Neves. A magistrada autorizou a prisão preventiva do jornalista para impedir novas publicações. Disse, ainda, que o NovoJornal seria financiado com dinheiro de origem ilegal. Acreditou que o site não contava com anunciantes suficientes para mantê-lo.

Aécio citado

Carone, amparado pelo bloco parlamentar Minas Sem Censura, que reunia deputados estaduais do PT, PMDB e PRB, negou as acusações. Ele denunciou perseguição política e investida dos aliados do senador Aécio Neves (PSDB) para calar o NovoJornal. Na época, o deputado estadual Rogério Correia (PT) denunciou pressões para calar a denúncia repetida, agora, nos depoimentos do megaempreiteiro Marcelo Odebrecht. Com as novas denúncias, Aécio Neves termina citado em cinco processos diferentes no STF, com a Lista de Furnas em primeiro lugar.
NovoJornal chegou a acusar a irmã de Aécio. Andrea Neves é jornalista e integrou a direção da campanha a presidente do tucano, em 2014. Ela teria procurado anunciantes do site de notícias, à época, para intimidá-los. Queria para que parassem de investir no “jornaleco da oposição”, segundo descreve Carone. O senador Aécio Neves foi procurado, na época, pela reportagem do Correio do Brasil, por meio do diretório nacional do PSDB, para comentar o caso, mas ele optou por não dar declarações.

Marcos Valério

A Lista de Furnas é um documento que revela as quantias pagas a políticos de PSDB, PFL (hoje DEM) e PTB em um esquema de desvio de verbas intermediado pelo publicitário Marcos Valério, em 2000. Trata-se do embrião do esquema que vigorou durante certo período no governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e deu origem à Ação Penal 470 e culminou no julgamento conhecido como ‘mensalão’.
O objetivo, então, era abastecer o caixa dois de campanha desses partidos nas eleições de 2002. O caso que ficou conhecido como “mensalão tucano”. Envolve as mesmas personagens e operações envolvendo denúncias contra o PT, em 2005. O PSDB nega a existência do esquema, que pode ter movimentado mais de R$ 40 milhões. Também nega, até hoje, a autenticidade do documento, embora a Polícia Federal tenha comprovado, em perícia, que a lista conta com a caligrafia de Dimas Toledo. Tratava-se do então presidente da estatal de energia. Reaberto no STF, após as declarações de Odebrecht, o rito legal será ditado pela Presidência da Corte. No julgamento contra o PT, realizado entre 2012 e 2013, houve a condenação de 36 pessoas.

segunda-feira, 22 de maio de 2017

Apoiadores dos "Faria" mais não fez, se calam diante das acusações contra Robinson e Fabio Faria (PSD)

Robinson e seus apoiadores em Alto do Rodrigues

O PSD do Rio Grade do Norte vivi sua maior crise politica, com isso, seus aliados no Rio Grande do Norte, parecem anestesiados com a exposição negativa de seus maiores lideres e amigos no RN.

Alvos de denuncias na lava jato, por suposto recebimento de propinas pela JBS, o Governador do RN e seu filho o Deputado Federal Fabio Faria, vivem dias difíceis. O Pai anda na corda bamba depois das noticias de impeachment, o filho ver seu nome e de sua famosa esposa, a apresentadora e filha de Silvio Santos Patricia Abravanel serem alvos de escândalos e envolvimento com a corrupção que toma conta do pais. 

Deputado Fabio Faria apoiou a candidatura de seu partido a prefeitura de Alto do Rodrigues em 2016

Em Alto do Rodrigues, o Governador e seu filho Deputado, tem como defensores e admiradores, o grupo de oposição, que até o momento não se manifestaram sobre os envolvimentos de seus aliados, com a corrupção. Se o Governador e o deputado receberam dinheiro sujo, proveniente de corrupção para gastar na campanha de 2014, será que não sobrou nada para as eleições de 2016.